Artigos Antigos
Fonte

A votação tumultuada da Lei do Piso dos Professores, ainda está gerando debates nos blogs e nas redes sociais. Desta vez, fora da câmara, a polêmica está nos argumentos do Vereador Edmundo e na declaração de repúdio do Professor Valdeny.

Após ter declarado que "se dependesse dos votos dos professores não teria sido eleito" o Vereador Edmundo postou em seu blog sua justificativa ao projeto de lei. A seguir veja os trechos da sua postagem (Click aqui para ir ao blog):

"A proposta contemplou os professores da educação básica I com 22,2%; educação Básica II com 12,3%, deixando os profissionais com salários que varia de R$ 1.451,00 a R$ 2.592,00." ... "O executivo sempre deu aumentos que pôde dar."
"A oposição na câmara e o Sindicato nunca ficaram satisfeitos, mesmo quando o executivo dar aumento igual para todos atendendo a Lei do piso nacional. Por exemplo em 2010 quando o piso teve aumento de 7,86% a oposição e o Sindicato pediram 18%. Em 2011 quando o piso teve aumento de 15,8% a oposição e o Sindicato reivindicaram mais 10%."
"Votei na proposta do Executivo consciente da responsabilidade de conceder aquilo que é possível pagar. Sei que é justa a reivindicação da classe, mas não podemos fazer mágica pra se ter dinheiro para pagar todo o aumento reivindicado. Se a oposição apontar uma fonte de recursos, aí a gente dar um aumento em breve. O pedido de complementação ao MEC seria uma saída, porem nenhum dos 5.565 municípios brasileiros, jamais conseguiu acessar, embora muitos tenham tentado."
"Aproximadamente 50 professores que entenderam que o que estava sendo votado era o que era possível pagar, prestaram apoio ao projeto, porem foram retalhados pelos diretores do Sindicato e professores adeptos (uns 20), que xingaram seus próprios colegas de imbecis, corja, puxa-sacos, pastoradores de meninos e outros desagravos encontrados no blog do professor Valdeny (educadeny.blogspot.com.br). Além disso também não houve respeito destes, nem ao presidente da casa, chamado de `indigno` de ocupar a cadeira."
Já o Professor Valdeny Santos discorda e declara repúdio ao Vereador, conforme trechos a seguir, postados em seu blog (Click aqui para ir ao blog):
"Fico enojado com mais uma atitude do nobre vereador Edmundo. Não defender a categoria, nós professores sabemos muito bem que o mesmo nunca o fez e não seria agora que o faria, até porque foi com a frase “se dependesse dos votos dos professores não teria sido eleito” que o vereador respondeu a solicitação de respeito a categoria, na última assembleia do Sindsep. Agora querer colocar a categoria contra a sua entidade representativa, isso a gente não vai aceitar. É digna de asco, o que o vereador Edmundo colocou em seu blog “Aproximadamente 50 professores que entenderam que o que estava sendo votado era o que era possível pagar, prestaram apoio ao projeto, porem foram retalhados pelos diretores do Sindicato e professores adeptos (uns 20)”. O vereador tenta induzir o leitor e colocar os professores contra sua própria categoria. Com isso ele falta com a verdade e tenta inverter a ordem dos fatos. O que realmente aconteceu é que estes “aproximadamente 50 professores”, e o vereador coloca a palavra “aproximadamente” porque a maioria dos 50 não eram professores, mas sim BABÕES e PUXA-SACOS arregimentados por ele e pelo gestor, é que estavam lutando contra a categoria, compareceram à câmara e tentaram com vaias e xingamentos, impedir que o Sindsep na pessoa de seu presidente o professor Antônio Simplício e os professores defendessem toda a categoria."
"O vereador não cita em seu blog que os professores prejudicados pela a lei são mais de 100. Mas cita que os beneficiados são “aproximadamente 50”. É vergonhoso para um representante do povo e que chegou ao poder como defensor de entidades associativas, tente colocar a categoria contra a sua própria entidade. O Sindsep Apuiarés é um entidade séria e de luta pelos direitos dos servidores públicos municipais de Apuiarés. O Sindsep Apuiarés representa todos os servidores públicos do município, e não será uma minoria de BABÕES e PUXA-SACOS comandados por um “RELES” vereador que vai impedir que SindSep cumpra seu papel e seu dever que é defender o direito dos servidores públicos de Apuiarés. Agora é muito interessante o gestor e seus vereadores apoiadores são contra a categoria e ainda querem colocar a culpa no Sindicato e nos professores que lutam, não por novos direitos, mas apenas pela manutenção de direitos adquiridos.
O vereador Edmundo em nenhum momento relata que o projeto de lei alterou a tabela vencimental do plano de cargos, carreira e salários de dezembro de 2009 e que esta alteração representa a retirada de um direito adquirido com muita luta e ainda prejudica a maioria dos professores."